Processos de projeto: uma idéia geral de como funciona

Gerenciar um projeto de design de interiores demanda um cronograma bem planejado e detalhado envolvendo processos e suas respectivas fases. Explorar atenciosamente cada fase refinando sempre as idéias torna clara a comunicação entre os profissionais envolvidos assim como também facilita a linguagem com o próprio cliente. 

Os desenhos são a chave para transmitir e explorar essas idéias. Eles avançam ao longo do refinamento do projeto tomando dimensionamento necessário para a execução e calibragem com outros profissionais envolvidos. No início o designer/arquiteto fará os croquis a mão livre testando alguns conceitos para que nas etapas posteriores possa nascer os desenhos assistidos por computador.

Independente da escala do projeto quatro elementos básicos precisam ser levados em consideração desde o princípio: a implantação, o programa de necessidades, o cronograma e o orçamento. O aconselhável é que estes itens sejam elaborados em uma relação profissional/cliente para evitar desajustes em alguma cada etapa.

Implantação do projeto após selecionar o espaço ou terreno:

Nesta parte o profissional fará uma análise do espaço e estudo de viabilidade para depois apresentar a melhor solução de layout dentro das condicionantes físicas. Será levantado um programa de necessidades e dada algumas exceções o próprio espaço físico poderá sugerir um programa de necessidades. 

Programa de necessidades: Requisito dos usuários

A concepção do programa de necessidades antecede o projeto de interiores e deve incluir a avaliação do desempenho funcional, das oportunidades e condicionantes do espaço considerando atributos que possam ser incluídos para trazer um caráter apropriado e funcional para suprir todas as necessidades levantadas pelo usuário final. Da preparação do programa de necessidades fazem parte: a coleta, a análise e a documentação das informações.

A maneira de documentar todas as informações variam de acordo com o profissional evitando equívocos e transtornos futuros. Para que as fases subsequentes do projeto possam se desenvolver, o documento deverá apresentar exigências funcionais e dimensionais de todos os ambientes internos que serão projetados. Essas informações são cruciais para articular o programa em todas as fases e atender as expectativas do usuário final.

Após elaborando o programa de necessidades, é escolhido um Conceito ou Partido que através da técnica chamada brainstorming o cliente irá escolher dentre as opções apresentadas um conceito de projeto para dar início a fase seguinte, o Anteprojeto.

No anteprojeto todos os elementos são desenvolvidos, como janelas, o tratamento interno das paredes, piso e teto, iluminação, layout dentre outros elementos necessários. Apresentada a proposta e tendo a aprovação do cliente, é desenvolvido o Projeto Executivo no qual todos os desenhos serão desenvolvidos com um maior detalhamento e especificações para execução.

Cronograma

O cronograma faz referência aos momentos de escolha e aprovação do conceito e orçamento, as licenças para a construção, a finalização de cada etapa do projeto incluindo a duração até a possível data de ocupação/entrega do imóvel. O cronograma atribui as responsabilidades de cada profissional e equipes envolvidas definindo uma estrutura temporal para a execução dos contratos pontuando também quais levantamentos e análises de ambientes, terreno ou solo deverão ser realizadas. 

Orçamento

Permite uma estimativa do custo e execução do projeto sendo imprescindível para a racionalização do processo de projeto que deve ser conferido após o término de cada etapa.  Os orçamentos de projeto são divididos em dois grandes grupos: O primeiro grupo abrange a parte do custo da construção da arquitetura do interior, dos móveis, acessórios e equipamentos. O segundo grupo de custos inclui os honorários do designer de interiores/arquiteto, do gerente de projeto e consultores como também as taxas de licenciamento, o seguro e as contingências do projeto.

Em pequenos projetos, o designer ou arquiteto poderá estimar valores baseados na experiência profissional. Outra forma de estimar os custos de execução seria uma análise dos desenhos pelo próprio construtor. Os orçamentos costumam ser divididos em diversas categorias genéricas (instalações hidrosanitárias, alvenaria, pintura, mobiliário fixo…) a metodologia varia conforme a dinâmica de trabalho do construtor.

Em projetos de médio porte, o orçamento deverá ser realizado com base no projeto executivo por um orçamentista ou um gerente de obra. Obras de médio a grande porte precisam de orçamentos organizados de acordo com os serviços a serem executados, assim o projetista consegue avaliar onde concentra-se a maior parte dos custos.

Mesmo diante de todo o planejamento e levantamento de dados, vale ressaltar que os custos da construção poderão estar sujeitos à modificação devido à fatores como mudança das condições de mercado e inflação. 

Inspirado em: Cor, Espaço e Estilo; Grimley, Chris; Editorial Gustavo Gili, SL, Barcelona, 2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: